Tel: (11) 2505.2000 | Rua Boa Vista, 170 - São Paulo/SP- 01014-930


Alô CDHU: 0800 000 2348



Endereços eletrônicos oficiais da CDHU:   http://www.cdhu.sp.gov.br     http://www.facebook.com/cdhusp     https://www.twitter.com/cdhusaopaulo


Notícias

Rodrigo Garcia deixa Secretaria e faz balanço de sua gestão



Rodrigo Garcia deixa o comando da Secretaria de Estado da Habitação e reassume nesta quinta-feira (1/2) o mandato de deputado federal para o qual foi eleito com 336.151 votos. O novo secretário da Habitação é Nelson Baeta Neves Filho, que era secretário-adjunto de Rodrigo. “Saio com a sensação do dever cumprido, pois fizemos muito. Todos os nossos programas e ações terão continuidade”, diz. “Agradeço ao governador Geraldo Alckmin pela oportunidade e pelo apoio. Reassumo o mandato para lutar pelas reformas que o Brasil precisa para se desenvolver e criar oportunidade para as pessoas”, afirma.

O período 2015/2018 marcará um recorde na entrega de moradias: 130.728 unidades. É o maior número de entregas já realizado por uma gestão na história da política habitacional do Estado. O investimento atinge a marca de R$ 4,7 bilhões. “A maior recessão da história do Brasil não nos abateu e conseguimos um resultado histórico, que gerou empregos e atividade econômica”, afirma.

Na gestão de Rodrigo Garcia, foi concretizada a primeira PPP – Parceria Público-Privada de Habitação Popular do Brasil. “Com criatividade, buscamos na iniciativa privada o investimento tão necessário no momento de restrição do orçamento público”, diz Rodrigo. O resultado da parceria já muda a região da Luz, no Centro da Capital, com a construção do Complexo Júlio Prestes no amplo terreno de 18 mil m², que um dia abrigou a rodoviária da cidade. “As obras da PPP são um impulso decisivo para a revitalização da região”, destaca.

O primeiro prédio do complexo deve ser entregue em março. Já está em obras a revitalização da Praça Júlio Prestes, que vai ligar a Sala São Paulo à Escola de Música Tom Jobim, também construída no âmbito do contrato da PPP. Além dos 1.202 apartamentos do Complexo e da Escola de Música, as obras da PPP contemplam bulevares com cinco mil metros quadrados reservados a lojas e uma creche para 200 crianças. O total do contrato da PPP prevê a construção de 3.683 apartamentos que serão ocupados, principalmente, por pessoas que trabalham no Centro e moram na periferia, o que vai ajudar a melhorar o trânsito e dar qualidade de vida às famílias. Já foram entregues prédios desse contrato na rua São Caetano e na alameda Glete.

Rodrigo deixa na Secretaria da Habitação dois projetos prontos de novas PPPs: a PPP da Nova Cidade Albor, que vai construir 13,1 mil moradias na Grande São Paulo, que contará com áreas de comércio, logística, indústrias e equipamentos públicos; e a PPP dos Trilhos, que vai construir 4.556 moradias sobre uma laje de 32 mil m², que será erguida sobre a estação Belém do Metrô. Ambos os projetos estão com editais prontos para as concorrências.

A gestão de Rodrigo avançou também nas ações da Casa Paulista, que viabiliza o programa federal Minha Casa, Minha Vida em São Paulo ao aportar até 30% dos valores necessários aos empreendimentos no Estado. No período 2015/2017, foram viabilizadas 76.344 unidades.

Além da Casa Paulista, Rodrigo assinou novos convênios da CDHU – Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano, que vão proporcionar a construção de mais 24.920 moradias em 232 empreendimentos. Haverá uma inovação importante: todas as novas casas feitas pela CDHU contarão com eletricidade produzida por painéis fotovoltaicos, o que traz economia para as famílias.

A gestão também avançou na regularização de lotes por todo o Estado de São paulo, por meio do Cidade Legal. Ao todo, 33.799 propriedades legalizadas, levando segurança para as famílias.

A gestão de Rodrigo combateu a inadimplência com a campanha “Fique em Dia com a sua Casa”, que mesmo em plena recessão reduziu os atrasos nos pagamentos de 30% para 20%. Os mutuários inadimplentes foram procurados ativamente e receberam descontos e condições favorecidas para retomar os pagamentos. Dessa forma, os recursos para novos projetos habitacionais aumentam.

Rodrigo aperfeiçoou a gestão da Secretaria com a revisão de contratos de prestação de serviços (como call center, suporte em TI, consultorias e locação de veículos) e com a adoção de medidas, como a substituição dos boletos mensais dos mutuários por um carnê com todas as prestações. A economia entre 2015 e 2017 foi de R$ 58,5 milhões.

 


Autor: Gerência de Comunicação Social


Voltar para o Índice de Notícias